Aqui você pode realizar buscas no catálogo on-line, bem como fazer download de parte do nosso acervo. Além disso, disponibilizamos informações sobre a biblioteca, tais como histórico, serviços oferecidos, links relacionados, etc.

ID: 102059
Nº de chamada: 331.024-053.6(81)-T758
Complemento 1: 2016-2022
Complemento 2: F
ISBN: 9788524046018
Tipo de material: folheto
Título: Trabalho infantil de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos de idade 2016/2022 / IBGE, Coordenação de Pesquisas por Amostra de Domicílios
Local: Rio de Janeiro
Editor: IBGE
Ano: 2020
Descrição física: 8, 129 p. : il. color
Notas:
Disponível somente em meio digital.
Outro título: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua.
Indicação de conteúdo: Apresenta os principais resultados da investigação em quatro tópicos, apenas em nível nacional. O primeiro apresenta os contingentes da população de 5 a 17 anos de idade e total de crianças e adolescentes no Brasil que realizavam atividades econômicas ou produção para o próprio consumo. Para essa população foi mensurado, a partir da metodologia estabelecida3 para cada grupo etário no escopo dessa divulgação, o contingente que se encontrava em situação de trabalho infantil, bem como suas características, tais como: idade, sexo, cor ou raça, condição de estudante, horas trabalhadas e tipo de atividade. Especificamente, para as pessoas de 16 e 17 anos de idade que realizaram atividades econômicas, foi investigada a condição de formalidade na ocupação no seu trabalho principal. O segundo tópico traz os resultados do trabalho coordenado pelo IBGE com apoio, principalmente da OIT, do Ministério da Cidadania e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (United Nations Children’s Fund - UNICEF), que buscou, por meio da PNAD Contínua, classificar crianças e adolescentes de 5 a 17 anos de idade que desenvolviam atividades constantes na Lista das Piores Formas de Trabalho Infantil (Lista TIP). A classificação elaborada pelo IBGE trouxe uma listagem de códigos que identifica as ocupações que estão entre as piores formas de trabalho infantil, com base na Classificação de Ocupações para Pesquisas Domiciliares - COD. Assim, além de classificar crianças e adolescentes de 5 a 17 anos de idade em situação de trabalho infantil, foi possível identificar se as ocupações por elas desenvolvidas constavam da Lista TIP. O terceiro tópico analisa o rendimento de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil, por idade, condição de estudante e jornada de trabalho. Também é apresentado o indicador sobre recebimento de benefícios sociais do governo, nos domicílios onde residiam crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil. Por fim, o quarto tópico traz as estimativas da população de 5 a 17 anos de idade que realizava afazeres domésticos e/ou cuidados de pessoas.
Por decisão editorial, a publicação é divulgada em duas partes. A primeira parte corresponde a um informativo contendo comentários analíticos ilustrados com tabelas e infográficos que destacam os principais resultados do estudo/pesquisa, e é disponibilizada tanto em meio impresso como em meio digital. A segunda parte, constituída por Notas técnicas, entre outros elementos textuais, apresenta considerações de natureza metodológica sobre o estudo/pesquisa, sendo veiculada apenas em meio digital (formato pdf).


Assuntos:
Brasil; Crianças; Estatística; Jovens; Levantamentos domiciliares; Menores; Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua; PNAD Contínua; Trabalho infantil

Entidade Secundária: IBGE. Coordenação de Pesquisas por Amostra de Domicílios
Título Secundário: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua : trabalho de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos de idade 2016/2022; PNAD contínua : trabalho de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos de idade 2016/2022
Série Secundária: Coleção Ibgeana; Investigações Experimentais. Estatísticas Experimentais


© 2024 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística