Aqui você pode realizar buscas no catálogo on-line, bem como fazer download de parte do nosso acervo. Além disso, disponibilizamos informações sobre a biblioteca, tais como histórico, serviços oferecidos, links relacionados, etc.

ID: 101891
Nº de chamada: 311.21:656.7(81)-L723
Complemento 1: 2019-2020
ISBN: 9786587201979
Tipo de material: livro
Título: Ligações aéreas : 2019-2020 / IBGE, Coordenação de Geografia
Local: Rio de Janeiro
Editor: IBGE
Ano: 2021
Descrição física: 103 p. : il., mapas color.
Notas:
Disponível somente em meio digital.
Outro título: Redes e fluxos do território.
Indicação de conteúdo: O projeto Redes e Fluxos do Território constitui uma linha de investigação que objetiva analisar os relacionamentos e as ligações entre as Cidades brasileiras, bem como a sua acessibilidade e a configuração espacial de suas trocas, quer de natureza material (pessoas, mercadorias, cargas), quer imaterial (informações, dinheiro, gestão). Com esta publicação, o IBGE apresenta os resultados de sua mais recente investigação sobre o tema, que contempla, a exemplo da anterior, referida a 2010, os fluxos derivados do transporte aéreo, visando não só retratar a posição das Cidades brasileiras no sistema urbano nacional a partir desse modal, como também avaliar as suas acessibilidades sob a perspectiva dos custos tarifários, das opções de passagens voadas e dos tempos de viagens a partir daquelas com aeroportos, além de caracterizar o seu acesso por passageiros que precisam se deslocar de outras Cidades que não possuem serviço regular de transporte aéreo. Nesta edição, vale destacar, em virtude da pandemia de COVID-19, optou-se por abordar as relações entre as Cidades brasileiras por meio do transporte aéreo em uma situação de “normalidade” operacional, utilizando-se para tal os dados de 2019, e indicar, ainda que preliminarmente, os impactos pandêmicos no setor com base nos dados de 2020. Nesse sentido, foram utilizadas três bases principais. A primeira reúne informações da Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC, cujos registros permitiram caracterizar a movimentação de passageiros e cargas e subsidiaram a análise da acessibilidade das Cidades, a partir dos dados sobre os voos diretos de cada aeroporto. A segunda, também da ANAC, contém os microdados das tarifas aéreas comercializadas, os quais possibilitaram caracterizar a acessibilidade das Cidades com aeroportos e definir um padrão geográfico de interação entre elas, tendo como referência a origem e o destino final das viagens. A terceira base, da Secretaria de Aviação Civil em parceria com o Laboratório de Transporte e Logística - LABTRANS, da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, resulta do cruzamento de diversos dados oficiais com informações big data de deslocamento de celulares captadas por torres de transmissão de telefonia móvel, gerando, assim, uma matriz de origem-destino de todos os que se deslocaram para acessar aeroportos e do quantitativo dos que o fizeram, o que viabilizou a caracterização desse acesso por passageiros de outras Cidades, obtendo-se, adicionalmente, um perfil regional daquelas com aeroporto. Dada a relação dos fluxos aéreos com a rede urbana, o conjunto dessas informações, além de propiciar a análise de um aspecto importante da realidade brasileira, oferece, ainda, insumos para a próxima edição da pesquisa Regiões de Influência das Cidades - REGIC, ao espelhar como a rede urbana se estrutura e operacionaliza as conexões entre Cidades.


Assuntos:
Aeronáutica comercial; Brasil; Estatística; Geografia econômica; Linhas aéreas

Entidade Secundária: IBGE. Coordenação de Geografia
Título Secundário: Redes e fluxos do território; Redes e fluxos do território : ligações aéreas : 2019-2020

Download(s):

liv101891.pdf

© 2022 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística