Aqui você pode realizar buscas no catálogo on-line, bem como fazer download de parte do nosso acervo. Além disso, disponibilizamos informações sobre a biblioteca, tais como histórico, serviços oferecidos, links relacionados, etc.

ID: 101784
Nº de chamada: 314.9-055.2(81)-E79
Complemento 1: n. 38 2. ed.
Complemento 2: F
ISBN: 9786587201511
Tipo de material: folheto
Título: Estatísticas de gênero : indicadores sociais das mulheres no Brasil / IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais
Local: Rio de Janeiro
Editor: IBGE
Ano: 2021
Descrição física: 12, 26 p.
Notas: Disponível somente em meio digital.
Indicação de conteúdo: Em 2013, a Comissão de Estatística das Nações Unidas (United Nations Statistical Commission) organizou o Conjunto Mínimo de Indicadores de Gênero - CMIG (Minimum Set of Gender Indicators - MSGI), constituído por 63 indicadores (52 quantitativos e 11 qualitativos) que refletem o esforço de sistematização de informações destinadas à produção nacional e à harmonização internacional de estatísticas de países e regiões relativamente à igualdade de gênero e ao empoderamento feminino. Com a divulgação da segunda edição deste informativo sobre o tema, o IBGE traz a público os resultados de grande parte dos indicadores quantitativos para o Brasil, contribuindo, assim, para o preenchimento de importante lacuna na produção de estatísticas de gênero. As informações estão organizadas segundo os cinco domínios estabelecidos no CMIG – Estruturas econômicas, participação em atividades produtivas e acesso a recursos; Educação; Saúde e serviços relacionados; Vida pública e tomada de decisão; e Direitos humanos das mulheres e meninas – e fornecem um panorama das desigualdades de gênero no País, com valiosos elementos para reflexão de estudiosos e formuladores de políticas públicas. Para tal, dos 52 indicadores quantitativos propostos no CMIG, foram construídos 36, complementados por outros sete correlacionados a cada temática, alguns como proxies de indicadores originalmente propostos, porém sem disponibilidade de dados no País. A exemplo da edição anterior, para a construção dos indicadores nacionais foram utilizados dados provenientes do IBGE, como a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua, as Projeções da População por Sexo e Idade, as Estatísticas do Registro Civil, a Pesquisa Nacional de Saúde - PNS, a Pesquisa de Informações Básicas Estaduais - Estadic e a Pesquisa de Informações Básicas Municipais - Munic, bem como dados de fontes externas oriundas do Ministério da Saúde, da Presidência da República, do Congresso Nacional, do Tribunal Superior Eleitoral - TSE e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. O presente estudo incluiu perspectivas adicionais para os indicadores propostos pelo CMIG. Sempre que possível, os dados foram desagregados por sexo e outras características, de forma a revelar diferenças e desigualdades. No caso brasileiro, vale destacar, essas “outras características” assumem papel relevante, conforme mostram as séries históricas de indicadores sociais que indicam que cor ou raça, ser pessoa com deficiência, morar em área urbana ou rural, entre outros condicionantes, podem ter impactos significativos na vida das pessoas, reforçando desigualdades. No portal do IBGE, além do informativo, são disponibilizados ainda o plano tabular completo, bem como as notas técnicas sobre o estudo, as quais apresentam, para cada temática, a conceituação dos indicadores de acordo com os metadados definidos pelas Nações Unidas, as fontes estatísticas utilizadas e a respectiva metodologia de cálculo. No plano tabular disponibilizado, as tabelas obedecem a numeração dos indicadores CMIG e estão organizadas em pastas temáticas. As tabelas com indicadores complementares foram denominadas “tabelas extras” e também estão alocadas segundo o tema.
Por decisão editorial, a publicação é divulgada em duas partes. A primeira parte corresponde a um informativo que apresenta comentários analíticos ilustrados com tabelas e gráficos sobre os principais resultados do estudo. A segunda parte, as notas técnicas, trazem considerações de natureza metodológica sobre o estudo e é veiculada apenas em meio digital.


Assuntos:
Brasil; Direitos das mulheres; Educação; Estatística; Indicadores sociais; Mercado de trabalho; Metodologia; Mulheres; Mulheres na política; Mulheres no desenvolvimento; Serviços de saúde para mulheres

Entidade Secundária: IBGE. Coordenação de População e Indicadores Sociais
Série Secundária: Coleção Ibgeana; Estudos e pesquisas. Informação demográfica e socioeconômica, ISSN 1516-3296


© 2021 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística