Aqui você pode realizar buscas no catálogo on-line, bem como fazer download de parte do nosso acervo. Além disso, disponibilizamos informações sobre a biblioteca, tais como histórico, serviços oferecidos, links relacionados, etc.

ID: 34900
Código de Localidade: 2111300
Município: São Luís
Tipo de material: fotografia
Título: Praça Gonçalves Dias : [Estátua de Gonçalves Dias] : São Luís, MA
Local: [S. l.]
Editor: [s. n.]
Ano: [19--]
Descrição física: 1 fot. : p&b
Série: Acervo dos municípios brasileiros
Notas: A Praça Gonçalves Dias, localizada no alto do Bairro dos Remédios, é famosa por ser ponto de encontro dos enamorados de São Luís, o que lhe deu o título de Largo dos Amores.
A praça é uma homenagem a um dos maiores poetas do estado e um monumento com uma estátua sua foi erguido no local.
Na Praça, há ainda muitas palmeiras e um coreto, onde algumas apresentações artísticas em dia de festa e festejo da Igreja dos Remédios são realizadas. A Igreja de Nossa Senhora dos Remédios está localizada em frente da praça. A única com estilo gótico na capital maranhense, foi construída ainda em 1719 como uma capela. Uma longa escadaria liga o logradouro a outro espaço muito importante da capital, a Praça Maria Aragão.
No entorno do largo há também outros monumentos e Casarões Coloniais como o Palácio Cristo Rei é um deles, construído em 1877. Disponível em: http://passeiourbano.com/2011/09/17/praca-goncalves-dias-largo-dos-amores/. Acesso em: abr. 2016.
Antônio Gonçalves Dias nasceu em Caxias, MA, em 10 de agosto de 1823. É o patrono da cadeira 15 da Academia Brasileira de Letras, por escolha do fundador Olavo Bilac. Sua poesia é eminentemente autobiográfica e pela obra lírica e indianista, Gonçalves Dias é um dos mais típicos representantes do Romantismo brasileiro.
Era filho de João Manuel Gonçalves Dias, comerciante português, e de Vicência Ferreira, que era mestiça.
Casado em 1825 com outra mulher, o pai levou-o consigo, deu-lhe instrução e trabalho e matriculou-o no curso de Latim, Francês e Filosofia do Prof. Ricardo Leão Sabino. Em 1838 Gonçalves Dias embarcaria para Portugal para prosseguir nos estudos, quando o pai faleceu. Com a ajuda da madrasta pôde viajar e matricular-se no curso de Direito em Coimbra. Por efeito da Balaiada, a situação financeira da família se complicou, mas Gonçalves Dias prosseguiu nos estudos graças ao auxílio de colegas, formando-se em 1845.
Em 1843 surge a “Canção do exílio”, uma das mais conhecidas poesias da língua portuguesa.
Regressando ao Brasil em 1845, passou rapidamente pelo Maranhão e, em meados de 1846, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde morou até 1854.
Em 1849, foi nomeado professor de Latim e História do Colégio Pedro II e fundou a revista Guanabara, com Macedo e Porto-Alegre.
Em 1851 Gonçalves Dias partiu para o Norte em missão oficial e no intuito de desposar Ana Amélia Ferreira do Vale, o grande amor de sua vida, cuja mãe não concordou, ao que tudo indica por motivos de sua origem bastarda e mestiça. Frustrado, casou-se no Rio em 1852 com Olímpia Carolina da Costa. Foi um casamento de conveniência, origem de grandes desventuras para o poeta devidas ao gênio da esposa, da qual se separou em 1856. Tiveram uma filha, falecida na primeira infância.
Nomeado para a Secretaria dos Negócios Estrangeiros, permaneceu na Europa de 1854 a 1858, em missão oficial de estudos e pesquisa. Em 1856, viajou para a Alemanha e na passagem por Leipzig, em 1857, o livreiro-editor Brockhaus editou os Cantos, os primeiros quatro cantos de Os Timbiras, compostos dez anos antes, e o Dicionário da língua Tupi. Voltou ao Brasil e em 1861 e 1862, viajou pelo Norte, pelos rios Madeira e Negro, como membro da Comissão Científica de Exploração. Voltou ao Rio de Janeiro em 1862, seguindo logo para a Europa, em tratamento de saúde, buscando estações de cura em várias cidades européias.
Em 10 de setembro de 1864 embarcou para o Brasil no Havre no navio Ville de Boulogne, que naufragou no Baixio de Atins, nas costas do Maranhão, tendo o poeta, que já se encontrava agonizante, como única vítima do desastre, em 3 de novembro de 1864, aos 41 anos de idade.
Disponível em: http://www.academia.org.br/academicos/goncalves-dias/biografia. Acesso em: abr. 2016.


Assuntos:
Dias, Gonçalves, 1823-1864; Estátuas; Maranhão; Praças; São Luís (MA)

Título Secundárias: Largo dos Amores


© 2019 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística