Aqui você pode realizar buscas no catálogo on-line, bem como fazer download de parte do nosso acervo. Além disso, disponibilizamos informações sobre a biblioteca, tais como histórico, serviços oferecidos, links relacionados, etc.

ID: 40452
Código de Localidade: 1600303
Município: Macapá
Tipo de material: fotografia
Título: Rio Amazonas : [Trapiche Eliezer Levy] : vista aérea da cidade : Macapá, AP
Local: [S. l.]
Editor: [s. n.]
Ano: [19--]
Descrição física: 1 fot. : p&b
Série: Acervo dos municípios brasileiros
Notas: O Rio Amazonas, localizado na região norte do Brasil, é o mais extenso rio do mundo, com 6.850 km de extensão desde sua nascente a 5,6 mil metros de altitude no Peru até sua foz próximo a divisão do Pará com o Amapá. Antigamente acreditava-se que o Rio Nilo era o mais extenso, Rio Nilo era o mais extenso, porém isso acontecia devido a um erro de localização. Uma equipe constituída por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Agência Nacional de Águas (ANA) e representantes do Instituto Geográfico Nacional (IGN) do Peru foram até a Cordilheira de Chila onde se encontra a Quebrada Apacheta, um córrego que é a principal vertente do Rio Amazonas. A bacia amazônica é a maior do mundo com 5.846.100 km², sendo também a maior em volume de água, são 216.342m³ por segundo. Ao nascer na cordilheira peruana o Rio Amazonas recebe o nome de Apurimac até unir-se ao Rio Urubamba e receber o nome de Ucayalli. Já nas florestas equatoriais, ele se une ao Marañón antes de chegar ao Brasil. Em terras brasileiras, o Rio recebe o nome de Solimões até 30 km da cidade de Manaus, quando, por fim, recebe o nome de Amazonas. Devido a seus inúmeros afluentes a vazão do Rio varia muito pouco ao longo do ano, com algumas enchentes decorrentes de períodos de cheia. Por 3.700 km o Rio é perfeitamente navegável por navios de alto-mar sendo que as menores profundidades, inferiores a 20 m, só ocorrem perto da fronteira peruana. Alguns afluentes importantes do Amazonas são: o Ucayalli e o Huallaga (ambos no Peru), o Javari, o Madeira, o Purus, o Juruá, o Xingu e o Tapajós, encontrados na na margem direita; o Pastaza e Napo (no Peru), o Negro, o Japurá, o Trombetas, o Içá, o Jari e o Paru, encontrados na margem esquerda.
Disponível em: http://www.infoescola.com/hidrografia/rio-amazonas/. Acesso em: set. 2015.
O Trapiche Eliezer Levy foi inaugurado em 1945 com recursos do interventor do Pará, Magalhães Barata e recebeu o nome do então prefeito na época, Moisés Eliezer Levy. Primeiramente usado como porto de entrada e saída de Macapá, o local perdeu a importância econômica com o tempo, mas passou a atrair turistas por permitir acesso ao Rio Amazonas. Sua primeira estrutura era de madeira, e media 472 metros de comprimentos. Em 1999, no governo do João Alberto Capiberibe, ganhou uma nova estrutura de concreto, voltada ao turismo. O Trapiche ganhou um bondinho em sua penúltima reforma que foi revitalizado em 2011. Atualmente o Trapiche Eliezer Levy mede 360 metros de comprimento e tem em média 20 mil visitas por mês entre turistas e moradores locais.
Disponível em: http://www.portalamazonia.com.br/cultura/turismo/trapiche-eliezer-levy-em-macapa-e-ponto-de-observacao-do-rio-amazonas/. Acesso em: set. 2015.
Nota-se à esquerda, a Fortaleza de São José de Macapá.


Assuntos:
Amapá (Estado); Cais; Cidades e vilas; Habitações; Macapá (AP); Portos; Rios; Vistas aéreas; Vistas panorâmicas

Título Secundárias: Cais : Macapá, AP; Ponte de Desembarque; Porto : Macapá, AP; Porto de Embarque no Rio Amazonas; Rio Apurimac; Rio Solimões; Rio Ucayalli


© 2020 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística